Por onde você, ex-aluno (a), anda?


Acesse: exalunos@cesaojose.com.br


Mande seu email com o nome e ano em que estudou na escola!

 
Comentários  
   
Carina Carvalho - Formada em 2013
"Estudei no São José por doze anos, quase minha vida toda. Durante esses doze anos conheci pessoas que até hoje fazem parte da minha vida, amigos que não me atrevo em deixar para trás, e professores que, cada um com seu jeito, construíram o que eu sou hoje. Em falar neles, posso dizer com certeza que foram meus professores os grandes responsáveis por chegar até aqui, devo a eles o fato de o meu nome estar entre os aprovados da USP. Foram eles que muitas vezes deixaram de ser apenas professores, para se tornarem amigos, irmãos e pais, foram eles que esqueceram seus problemas para resolver os nossos, foram eles que construíram a nossa base, e foram nosso alicerce durante muitos anos, principalmente, durante esse ano cheio de problemas, escolhas, medos e anseios. Hoje olhando para trás, posso perfeitamente lembrar daquela criança que chorava com medo de deixar a mãe, e que aos poucos foi encontrando seu lugar, lembro dessa menina que cresceu naqueles corredores e hoje posso perceber que aquela menininha se tornou uma mulher, e durante todo esse crescimento o São José esteve presente. Quando o tão esperado terceirão chegou, não pude deixar de pensar em todos os anos que passei no São José, todos que passaram por lá, todas as broncas, elogios, conselhos, confusões, amizades, alegrias e tristezas, enfim toda a minha vida. Por doze anos, após as férias eu sabia o que o estaria me esperando, e nesse ano, pela primeira vez encontro pela frente novos desafios, novos horizontes e uma nova vida. E agora só o que posso fazer é agradecer por tudo o que vivi nessa escola, pelos meus grandes amigos e meus grandes mestres! Muito obrigada, sentirei muita saudade!"

 
Giovanna Donadio
"De 2001 a 2007, período que estudei no São José, fiz muitos colegas e amigos e tive bons professores. São pessoas de quem até hoje sinto o reflexo em minha vida. Sempre com conselhos, deram-me total atenção nos momentos de dúvida sobre que profissão deveria seguir. Foram muitas conversas, palestras e um tratamento sempre repleto de carinho. Tudo isso, com certeza, foi o diferencial para minhas escolhas.
Hoje, sou formada em Letras, mas estou cursando Secretariado Executivo Bilíngue, exercendo a profissão do segundo curso escolhido."
 
Vitor Torsani
Há tempos, autodiagnostiquei-me como um nostálgico irremediável. Mesmo sem ter completado meus 20 anos de idade, é comum flagrar-me distraído, relembrando passagens saudosas. Devo admitir que é uma condição perigosa, essa. A quem muito valoriza o passado, o que reservará o futuro?
O São José é um dos grandes culpados disso tudo. Dessa minha breve biografia, 10 anos foram vividos sob as dependências do colégio. Mais da metade, algo em torno de 51.55%. Viram? Aprendi a fazer contas por lá. Menos do que devia, é verdade, mas disso sou o único culpado. Jamais fui exemplar. Não mantinha o foco. Tinha muitos sonhos e pouquíssima disciplina para alcançá-los.

Não me esqueço de uma professora que se esforçava para me manter na linha, atitude que eu interpretava como implicância, falta de afinidade. Depois compreendi que não passava da típica reação de revolta, que, às vezes, temos contra nossos próprios pais, mas eles relevam, pois sabem o que estão fazendo. Ela sabia mesmo.

Depois de tantas manhãs maldizendo a obrigação de acordar cedo e ir pra aula, hoje há só saudade e o mais sincero agradecimento por tudo que vivi nesse lugar. Aí, aprendi química orgânica e outras mais, mas também aprendi que a escola era mais que química, física, ou matemática. Talvez não toda escola, mas a minha foi muito mais que isso. Era – e ainda é – uma família.

Saí do fundão do colégio e ingressei no curso e faculdade com que sonhei. Possivelmente ainda frequentarei o fundo da sala, é verdade, mas será o de alguma sala da Unifesp. Talvez eu não perca o hábito de olhar pra trás, também. Não me importo! O futuro já bradou por aqui e é um prazer lembrar que o Centro de Ensino São José tem imensa participação nisso. Obrigado!


 
Gabriel Chang, ex-aluno
Estudei dez anos no Centro de Ensino São José. Desde criança me dediquei ao estudo, o que ajudou a ter uma base sólida para fazer um bom ensino médio. Ter excelentes professores foi fundamental na minha formação, pois eles são os responsáveis por me motivar enquanto aluno. Eu agradeço por tudo que a escola me proporcionou, pois sei que sem ela não teria chegado aonde cheguei. São José, obrigado.

Gabriel Augusto Ventura Chang - Hoje aluno da USP
 
Amanda, ex-aluna
Fui aluna do São José durante minha vida escolar inteira. Desde o maternal I até o Ensino Médio, minha única escola foi essa. Tenho tudo a agradecer à escola pela minha formação, principalmente na área de humanas. Fui ensinada não apenas a decorar fórmulas, mas a pensar criticamente sobre a sociedade.
No final do ano passado, eu prestei vestibular para a Universidade Presbiteriana Mackenzie (IPM), considerada a melhor universidade particular do Brasil pelo Ranking Universitário da Folha (RUF) para o curso de Jornalismo. É com muito orgulho que eu revelo que fui aprovada no vestibular em 15º na classificação geral! Fiquei gratamente surpresa com essa colocação e agradeço de coração à escola por ter me dado condições de atingir meus objetivos.

Obrigada, São José!

 
Fernando Rianho Elias
"No São José, aprendi muito sobre várias coisas, como bagunçar, estudar, viver, a ter amizades verdadeiras, algumas que até hoje levo comigo, e o mais importante foi evoluir no meio disso tudo. Sempre achei a escola um pouco chata, mas quando finalmente saí dela, fiquei com uma enorme saudade, até das pessoas ou professores com quem eu não tinha muita afinidade. Hoje adoro vê-los ou conversar com eles a porta da escola. Todas as pessoas desde o Sérgio (portaria) até a Marilda... estou morrendo de saudades!
Pensando bem, se eu ainda estivesse na escola, faria tudo diferente, valorizaria todos, estudaria mais, pois quando abro os olhos, me deparo com a responsabilidade de cuidar de um Service Desk praticamente sozinho no trabalho e, na faculdade, fazer meu TCC na IBTA (Instituto Brasileiro de Tecnologia Avançada).
Agradeço ao São José por acreditar em mim, várias e várias vezes e me ajudar a ser quem eu sou hoje."

 
Camila Paes

Ainda me lembro das inúmeras vezes que pedi a Deus, e até mesmo ao Santo, que meus estudos acabassem logo e que me livrasse de todas as lições de casa, provas, trabalhos e todos os adjacentes envolvidos em sala de aula. Engano meu. Tudo não acabara de começar... No começo foi difícil acreditar que já não era mais necessário acordar cedo, colocar aquele uniforme, ir para a escola morrendo de sono e encontrar a Vivi na porta dizendo: "Bom dia, Camila! Cadê a camiseta da escola?" E depois de subir as escadas, atrasada - na maioria das vezes - ouvir a Marilda dizer: "Olha o horário..." Mas nada superava, na rampa, os gritos da Dani Prado: "Pessoal, acabou o intervalo!!". E sempre respondíamos "Tá bom, Dani. Tá bom!". Parece que foi ontem que eu me encantava com as aulas de literatura da Simone Verdum, que eu me descobria com a ciência do saudoso Rubão, que eu me enlouquecia com aquelas fórmulas e mais fórmulas da física do Bolacha, ops... Fernando Kawamorita.
É fato que, por muitas vezes, me flagro distraída, pensativa e com aquela saudade dessa época. Nossa! Como o tempo passa...
E aí me dei conta de que troquei as aulas de literatura pelas aulas de redação publicitária, a ciência humana pela ciência do anúncio, e assim vou trocando, até que eu me forme e receba o certificado de Publicitária pela Universidade Anhembi Morumbi.
E o bastão de ser aluna São José – e, assim dizer, ser uma "Zezita" - eu passei há pouco tempo para a minha filha Biancca de 2 aninhos apenas. Não por coincidência, mas por saber, conhecer, acreditar e confiar na escola em que estudei, em que me formei e que fez toda a diferença para que eu chegasse onde eu cheguei. Não há outra coisa a se fazer, a não ser agradecer, agradecer e agradecer! E hoje, quando o despertador toca, sinto orgulho de vestir mais uma vez aquele uniforme, aquela camiseta, só que desta vez não mais como aluna, e sim, como Mãe. E confesso: a saudade sempre vai existir. Passe o tempo que for, eu sempre vou me lembrar com muito carinho dos 5 anos em que estive nas salas de aula do Centro de Ensino São José.

A toda essa equipe maravilhosa: muitíssimo obrigada!